sábado, 27 de outubro de 2012

RESPIRE FUNDO CHEGAMOS AO PULMÃO DO MUNDO! CHEGAMOS AO FINAL DE NOSSA VIAGEM, CHEGAMOS AO AMAZONAS! A MARAVILHA DA NATUREZA QUE É NOSSA, MAS O MUNDO INTEIRO SE BENEFICIA COM ELA!  MUITO ORGULHO DE TER MOSTRADO TODO O MEU PAÍS! EITA BRASILSÃO IMENSO E LINDO! DELICIEM-SE COM O AMAZONAS! É LINDO DEMAIS... 

 
AMAZONAS CAPITAL MANAUS
 
REGIÃO:
NORTE
 
CLIMA:
TROPICAL
 
ÁREA:
1.570.745.680  KM²
 
HABITANTES:
3.538.387
 
MUNICÍPIOS:
62
 
LIMITES:
LESTE / PARÁ, SUDESTE / MATO GROSSO, SUL E SUDOESTE / RONDÔNIA E ACRE, NORTE / RORAIMA ALÉM DE VENEZUELA E PERÚ.
 
CIDADES PRINCIPAIS:
MANAUS, PARINTINS, ITAÇOATIARA, MANACAPURU, COARI, TEFÉ, TABATINGA, MAUÉS, MANICORÉ, HUMAITÁ.
 
RIOS PRINCIPAIS:
AMAZONAS, NEGRO, SOLIMÕES, PURUS, MADEIRA, JURUÁ, IÇÁ, UAUPÉS E JAPURÁ.
 
MANAUS
 
MANAUS
 
 
 

O Amazonas é ainda o 2º estado mais rico da região Norte, responsável por 32% do PIB da região. Em âmbito nacional, ocupa a 15ª posição. Possui o maior Índice de Desenvolvimento Humano (empatado com o Amapá), o maior PIB per capita, a 4ª menor taxa de mortalidade infantil, além 3ª menor taxa de analfabetismo entre todos os estados do Norte do Brasil.
Abriga a maior e mais populosa cidade da Amazônia, Manaus, com seus 1 832 423 habitantes.  A capital amazonense congratula-se ainda como a maior Região metropolitana da região, com população superior aos 2,2 milhões de habitantes. O Pico da Neblina, ponto culminante do Brasil, também se situa em território amazonense.
O nome Amazonas foi originalmente,dado ao rio que banha o estado pelo capitão espanhol Francisco de Orellana, quando o desceu em todo o seu comprimento, em 1541. Afirmando ter encontrado uma tribo de índias guerreiras, com a qual teria lutado, e associando-as às Amazonas da mitologia grega, deu-lhes o mesmo nome.
 
FESTIVAL FOLCLÓRICO PARENTINS
 

. Segundo etimologia alternativa defendida pelo historiador Karl Lokotsch, o nome Amazonas é de origem indígena, da palavra amassunu, que quer dizer "ruído de águas, água que retumba".  O que hoje é reconhecido como Amazônia, nos primeiros anos do século XVII era denominado Estado do Maranhão e a única cidade existente era a de São Luís, que concentrava todo o poder do Estado. As regiões central e oeste foram ocupadas apenas por ordens religiosas que subdividiram em áreas de missões e aldeamentos de atuação de Jesuítas, Carmelitas, Dominicanos e Franciscanos, o que variou ao longo do tempo, particularmente, desde o fim da Companhia de Jesus, em meados do século XVIII. Ao tempo em que as Ordens Religiosas dominavam o interior do vale Amazônico, o Governo do Estado do Maranhão promovia a distribuição de terras para particulares fundarem suas capitanias. Nesse contexto, capitanias de duas naturezas diferentes foram fundadas: As Capitanias da Coroa ou Reais, e as Capitanias Particulares. Em 1772, a capitania passou a se chamar Grão-Pará e Rio Negro e o Maranhão foi desmembrado. Com a mudança da Família Real para o Brasil, foi permitida a instalação de manufaturas e o Amazonas começou a produzir algodão, cordoalhas, manteiga de tartaruga, cerâmica e velas. Os governadores que mais trabalharam pelo desenvolvimento até então foram Manuel da Gama Lobo d'Almada e João Pereira Caldas. Em 1821, Grão Pará e Rio Negro viraram a província unificada do Grão-Pará. No ano seguinte, o Brasil proclamou a Independência.
RIO AMAZONAS
 
A partir de 1980, Manaus que já se ostentava como capital do estado administrativo, experimentou um grandíssimo avanço populacional e econômico, resultante principalmente da exportação de matéria prima oriunda e até então, exclusiva da Amaz^nia. Com as riquezas geradas pela exportação e importação da borracha natural, a capital amazonense recebeu grandes obras como o Porto de Manaus, o Teatro Amazonas, o Palácio da Justiça, o Reservatório de Mocó, a primeira rede de energia elétrica e os serviços de transporte coletivo em bondes. Tida como uma referência internacional, Manaus tornou-se símbolo de prosperidade e civilização, sendo palco de importantes acontecimentos artísticos e culturais. Floresceu então, o comércio de produtos luxuosos e supérfluos, com homens e mulheres de todo o mundo, desfilando por ruas e avenidas, na sede da compra do "ouro Negro", como era chamada a borracha natural, para revenderem com grandes lucros nas principais capitais da Europa e Estados Unidos. A partir de 1910, tempos difíceis iniciam-se para a cidade, devido à forte concorrência da borracha natural plantada nos seringais da Malásia, que chega aos mercados europeu e americano com vantagens superiores, o que acaba por decretar a falência da economia amazonense. A zona franca de Manaus foi um projeto de desenvolvimento sócio-econômico implantado através de Lei de 6 de  junho de 1957, que reformulava, ampliava e estabelecia incentivos fiscais para implantação de um pólo industrial, comercial e agropecuário numa área física de 10 mil km², tendo como sede a cidade de Manaus. O projeto foi implantado pelo Regime Militar brasileiro. 
 
 
AMAZONIA
 

. A criação da Zona Franca de Manaus visava promover a ocupação populacional dessa região e elevar o nível de segurança para manutenção da sua integridade, além de refrear o desmatamento na região e garantir a preservação e sustentabilidade da biodiversidade presente  Em seus 44 anos de existência, a história do modelo da Zona Franca de Manaus é dividida em quatro fases: A primeira, de 1967 a 1975, caracterizava a política industrial de referência no país pelo estímulo à substituição de importações de bens finais e formação de mercado interno; a segunda, de 1975 a 1990, caracterizou-se pela adoção de medidas que fomentassem a indústria nacional de insumos, sobretudo no estado de São Paulo; a terceira, de 1991 e 1996, entrou em vigor a Nova Política Industrial e de Comércio Exterior, marcada pela abertura da economia brasileira, redução do Imposto de Importação para o restante do país e ênfase na qualidade e produtividade, com a implantação do Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade (PBPQ) e Programa de Competitividade Industrial; e a quarta e última, de 1996 a 2002, marca sua adaptação aos cenários de uma economia globalizada e pelos ajustes demandados pelos efeitos do Plano Real, como o movimento de privatizações e desregulamentação.
 
TEATRO DE MANAUS
 
O estado do Amazonas caracteriza-se por ser a mais extensa das unidades federativas do Brasil. Grande parte dele é ocupado por reserva florística e pela água. O acesso à região é feito principalmente por via fluvial ou aérea. Apenas o inverno e o verão são bem definidos e a umidade relativa do ar fica em torno de 80%, tendo em vista que a região é cortada pela linha do Equador, ao norte. Seu fuso horário é de menos quatro (-4) horas em relação a hora mundial GMT. No brasil, o estado faz parte da região Norte. Apresenta um relevo relativamente baixo, já que 85% de sua superfície está abaixo de cem metros de altitude. Tem, ao mesmo tempo as terras mais altas, como o Pico da Neblina, seu ponto mais alto. Há uma grande porcentagem de terras baixas, comparando aos outros estados do Brasil.
 
FLORA VITÓRIA RÉGIA
 



. De acordo com esse estudo, de um modo geral, os solos amazonenses são relativamente pobres. Entretanto verifica-se, principalmente no interior do estado, uma região propícia a exploração de minerais, como o nióbio, caulim e silvanita. Ainda de acordo com o estudo, no estado econtra-se as três grandes reservas minerais inexploradas do mundo.
No Brasil, país caracteristicamente tropical, o Amazonas é dominado pelo clima equatorial, predominante também na Amazônia.  As estações do ano apresentam-se bastante diferenciadas e o clima é caracterizado por elevadas temperaturas e altos índices pluviométricos, decorrente principalmente pela proximidade do estado com a Linha do Equador. O regime pluviométrico apresenta índices superiores a 2.000 mm ao ano, sendo bastante elevados. Na vegetação do estado, sobressaem matas de terra firme, várzea e igapós. Toda essa vegetação faz parte da extensa e maior floresta tropical úmida do mundo: a Hileia Amazônica, que apresenta uma rica e complexa diversidade na composição da flora do estado e se faz presente em todo o seu território.
 
AMAZONIA
 
Os solos de terra firme situam-se em terras altas, geralmente distantes dos grandes rios. São formadas por árvores alongadas e finas, que possuem, geralmente, grande quantidade de madeira de alto valor ecônomico. Há ainda éspécies como a castanha-do-pará, as palmeiras e o cacauareiro, que também são encontradas em solos de terra firme.Os solos de terra firme são vermelhos, por se tratar de uma região úmida e de alta temperatura, e seus elementos químicos principais são hidróxido de alumínio e ferro, propícios à formação de bauxita e, portanto, pobres para agricultura.
As matas de várzea são próprias das áreas periodicamente inundadas pelas cheias dos rios. Apresentam maior variedade de espécies. Seus solos são os mais férteis da região. São solos jovens, que periodicamente são enriquecidos de material orgânico e inorgânico, depositados durante a cheia dos rios. A flora do estado apresenta uma grande variedade de vegetais medicinais, dos quais se destacam andiroba, copaíba e aroeira. São inúmeras as frutas regionais e entre as mais consumidas e comercializadas estão: guaraná, açaí, cupuaçu, castanha-do-brasil (castanha-do-pará), camu-camu, pupunha, tucumã, buriti e taperebá.
 
JAGUAR
 
MACACOS
 
BOTO COR DE ROSA
 
As matas de igapós estão situadas em áreas baixas, próximas ao leito dos rios. Durante quase o ano todo, permanecem inundadas. São compostas principalmente por árvores altas, que possuem, por sua vez, raízes adaptadas às regiões alagadas. O Amazonas é banhado pela bacia hidrográfica Amazônica, a maior do mundo, com quase 4 milhões de quilômetros quadrados em extensão. O rio Amazonas - que dá nome ao estado - é o principal de seus rios, com 7.025 quilômetros de extensão desde sua Nascente, na Cordilheira dos Andes, no Peru, até a sua foz no Oceano Atlântico. O rio Negro é o principal afluente do rio Amazonas. Nasce na Colômbia, banha três países da América do Sul e percorre cerca de 1.700 quilômetros. Entra em território brasileiro através do Norte do Amazonas e forma um estuário de cerca de seis quilômetros de largura no encontro com o rio Solimões, sendo chamado de rio Amazonas a partir daí. Apresenta um elevado grau de acidez, com pH 3,8 a 4,9 devido à grande quantidade de ácidos orgânicos provenientes da decomposição da vegetação. Por conta disso, a água mostra-se numa coloração escura.
 
PLANTAÇÃO DE GUARANÁ
FLORESTA AMAZÔNICA
 
A vasta fauna possui felinos, como as onças, grandes roedores, como as capivaras, aves, répteis e primatas. O maior desses animais é a anta e todos constituem fonte de alimento para as populações rurais. Alguns encontram-se ameaçados de extinção e são protegidos por órgãos especiais dos governos.  A Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, a maior unidade de conservação em área alagada do país, localiza-se no estado. Foi criada em 1996 e está situada nos municípios de Fonte Boa, Maraã e Uarini. Ao menos três dos principais parques nacionais brasileiros estão no Amazonas. O principal deles é o Parque Nacional do Jaú. Também são notáveis os parques da Amazônia e do Pico da Neblina. O estado alcançou um grandíssimo crescimento populacional no início do século XX, devido ao período da áurea da borracha, e após a instalação do Polo Industrial de Manaus, na década de 1960. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, o Amazonas é o segundo maior colégio eleitoral do norte brasileiro.
A população do Amazonas é composta basicamente por pardos, brancos e indígenas. A forte imigração no final do século XIX e início do século XX trouxe ao estado pessoas de todas as partes do Brasil e do mundo. Dos mais de cinco milhões de imigrantes que desembarcaram no Brasil, alguns milhares se fixaram no estado do Amazonas. Existe também uma grande e diversificada população de descendentes de imigrantes, tais como portugueses, italianos, espanhóis e japoneses. Há também uma notável comunidade afrodescendente, em especial haitianos.
 
NATUREZA
 
PICO DA NEBLINA
 
O estado possui a maior população estrangeira na Região Norte. São 6 964 habitantes no estado que possuem alguma nacionalidade que não seja a brasileira. O Pará responde pela segunda maior população estrangeira no Norte do país (3 679 imigrantes), seguido de Rondônia, com 2 856 imigrantes. Os portugueses e seus descendentes formam os principais colonizadores do Amazonas, por serem os únicos que não sofrem restrições numéricas de entrada no Brasil. Aos portugueses, a população deve a nossa língua, a religião, a base de nossa organização política, a cultura e a base de nossas instituições jurídicas. Estão presentes em todo o Amazonas. No estado do Amazonas, imigrantes espanhóis concentram-se na região de Manaus e de Presidente Figueiredo. Descendentes também são encontrados em municípios fronteiriços com a Colômbia e a Venezuela, principalmente na região de Tabatinga. A formação da comunidade árabe e judaica nesta região começou impulsionada pela pobreza e perseguição sofrida pelos judeus e árabes no Marrocos e Oriente Médio..  Os japoneses começaram a se instalar no Amazonas a partir de 1923. Com o fim do ciclo da borracha, eram necessárias uma nova técnica de cultivo e a introdução de produtos agrícolas que se estabelecessem como fonte para o desenvolvimento econômico do estado. Os chineses, em menor número, concentraram-se mais nas cidades e têm chegado principalmente de Taiwan. Atualmente é difícil encontrar chineses "puros" no Amazonas. A maioria deles já miscigenou-se com brancos, negros e indígenas e tornaram-se mestiços brasileiros. A imigração africana na Região Norte do Brasil foi praticamente inexistente. Alguns milhares de escravos africanos foram levados ao Amazonas, muitos eram mulatos miscigenados nos diversos estados por onde passavam. Os nordestinos têm sido, desde o século XIX, o mais numeroso grupo de migrantes nacionais para o Amazonas. Foram decisivos na economia (borracha, juta e comércio) e na constituição da identidade amazonense, mestiçando-se com a população local, além de fundamentais na participação do Amazonas na conquista do Acre. O boi-bumbá é uma marca da influência nordestina no folclore do estado.
 
IPÊ AMARELO
 
ESPETÁCULO DA FLORESTA
 
TARTARUGAS
 
ARARAS
 
AVES EXÓTICAS
 
MAIS AVES
 
O estado possui uma economia baseada na indústria e no extrativismo. Destaca-se as indústrias de eletroeletrônicos, petróleo e gás natural e automobilístico; os setores de serviços e financeiro; e a mineração e pesca, que formam a base de uma economia que responde por cerca de 70 % da economia nortista, juntamente com o estado vizinho do Pará. O estado oferece ainda a segunda melhor infraestrutura do país para investimentos em novos empreendimentos ficando atrás apenas do Distrito Federal. Foi ainda, o estado que mais cresceu econômicamente no primeiro trimestre de 2010.  Atualmente, o Amazonas lidera o crescimento e a alta industrial no Brasil.
No Amazonas, os rios são as estradas e as enormes distâncias são medidas em horas ou em dias de viagem de barco. Todos os municípios possuem pistas para operações de aeronaves, sendo que a maioria é servida por aeroportos, havendo em Manaus e Tabatinga os únicos aeroportos internacionais no Amazonas.Existem também aeroportos regionais, que servem para servir mais de um municípios, estes são ao todo são os de :Coari, Eirunepé, Lábrea, Tefé e o de Parintins. Manaus conta com o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, nos moldes dos construídos na década de 1980. É o maior aeroporto da região Norte e o terceiro em movimentação de cargas do Brasil (atrás apenas de Guarulhos e Viracopos).
 
AMAZONAS
 
AMAZÔNIA
TRANSPORTE BARCO RIO AMAZONAS
 
NATIVOS


AMAZONIA

FLORESTA
 
Os municípios do Amazonas são as subdivisões oficiais do estado brasileiro do Amazonas, localizado na região Norte do país. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o estado possui 62 municípios, desde a última alteração feita em 1988, criando o município de Alvarães . Em São Gabriel da Cachoeira, município no norte do estado e no extremo norte do país, localiza-se o Pico da Neblina com 3.014 metros de altitude, o ponto mais elevado do Brasil, situado na fronteira brasileira com a Venezuela. Ainda neste município está situado o Pico 31 de Março, o segundo ponto mais elevado do território federal com 2.992 metros de altitude. São Gabriel da Cachoeira também é o único município brasileiro a possuir mais de um idioma oficial: Além do português, as línguas tucano, nhengatu e baníua são reconhecidas como idiomas oficiais do município. O artesanato do Amazonas é variado e de destaque, com muita influência da cultura indígena. Em geral usam-se elementos da floresta como contas, sementes e cipós. Atualmente o artesanato da região vem se aprimorando com vários elementos da floresta sendo incorporados a jóias, as chamadas biojóias.
 
video
 
CHEGUEI AO FIM DE MEU TRABALHO, FOI COM MUITA HONRA E MUITO AMOR QUE APRESENTEI O BRASIL, O MEU PAÍS À VOCÊS... FOI UM TRABALHO DE PESQUISA, MAS NELE HOUVE MUITO COMPROMISSO E O MAIOR DELES FOI O DE TER ORGULHO DE SER BRASILEIRA!
 
LEMBRO QUE O AMAZONAS FOI O ÚLTIMO ESTADO APRESENTADO E NO MENÚ "BRASIL" ENCONTRAM-SE TODOS OS ESTADOS ARMAZENADOS E A PRINCIPAL MISSÃO DE ME UNIR AO MEU POVO E GRITAR:
 
"A AMAZÔNIA É NOSSA"
 
video
 
"VERÁS QUE UM FILHO TEU NÃO FOGE A LUTA"
 
video
 
 


2 comentários:

Anônimo disse...

FECHOU COM CHAVE DE OURO BETH,LINDOS VIDEOS PARABÉNS!ELIZETE

Beth Loka disse...

Obrigada Elizete, adoro seus comentários...Bjs
Beth

SOS  AO MUNDO PELA VENEZUELA... Hoje meu post não é sobre reallytie, desculpem-me, hoje estou inteira solidária com a Venezuela...