quinta-feira, 15 de novembro de 2012

A MONTANHA E O RIO 41º CAPÍTULO:

TAN
 
O clima no salão de recepções do Hotel de Beijing estava impregnado de expectativa e da exitação da noite. As pessoas abriram caminho até mim e me aplaudiram enquanto eu rumava para o palanque. Esfreguei as mãos, cumprimentando com a cabeça demonstrando reconhecimento à calorosa recepção. Metade dos homens mais poderosos da cidade estava ali. A outra metade não importava. Como consegui ter tanta sorte? Me perguntava, ao pousar os olhos em minha família.
No meio do grupo, vovô brindou em silêncio com uma taça de alguma bebida espumante. Papai acenou com seu charuto apagado, um velho hábito dos tempos do Exército. Com os olhos semicerrados, mamãe parecia distante, sorrindo para parte das pessoas que estava no local e dispensando um olhar condescendente à outra parte.
Com Lena à minha direita e meia duzia dos meus executivos à minha esquerda, fiz um aceno com a cabeça ao maestro. A música foi diminuindo de volume. Dei uma batidinha no microfone. Alguém brincou: _Cante uma música para nós, por favor. _Tenho medo de afugentar vocês. O povo riu. _Chegamos ao momento da surpresa número um da noite. Ao meu lado, como vocês devem estar morrendo de vontade de saber, está o honorável L.M. Pei em pessoa.
A multidão irrompeu em aplausos retumbantes. O Sr. Pei deu um passo a frente e fez uma reverência humilde. _E ele está aqui por um motivo muito importante. Continuei. _Senhoras e Senhores, temos orgulho de nossa cultura milenar. Na melhor cidade do mundo, chamada Beijing, temos a Grande Muralha, A Cidade Proibida e muitas outras maravilhas. Mas este é o passado de Beijing, um passado glorioso. Hoje à noite, estou aqui para revelar a vocês o futuro desta cidade. Senhoras e senhores, apresento-lhes o Dragon Center.
Lena removeu um pano de cetim da mesa que estava a minha frente, revelando uma maquete detalhada do Dragon Center que reluzia com pequenas lâmpadas brilhantes. Em cima do prédio mais alto havia um dragão todo em luzes azuis. Era elegante, sublime, de tirar o fôlego. A multidão, animada, irrompeu em aplausos e aproximou-se da mesa onde estava a maquete. Fui até minha família. _Mamãe, papai, vovô. Esse é o futuro dos Long. Agora vocês podem vê-lo com seus próprios olhos. _Meu filho, isso é inacreditável. Papai sorria radiante. _Meu neto, isso vai lhe custar caro. _Vai ter lojas chiques e elegantes? Perguntou mamãe. _As respostas são sim, sim e sim! Abracei minha família. _E, vovô, não se preocupe. Neste exato momento, o dinheiro está fazendo fila na minha porta: JP, Morgan & Cia., de Nova York, Sumitomo Mitsui, de Tóquio, Rothschild       de Londres, o Deutsche Bank, de Frankfurt, o Banco Hang Seng, de Hong Kong e a lista continua... E, mamãe, todas as grifes do mundo (Paris, Nova York e Milão) têm se mostrado interessadas em inaugurar suas lojas aqui. _JP Morgan & Cia., deveriam liderar o grupo investidor. Disse vovô. _Por que vovô? _Outros bancos podem ter mais dinheiro, mas Morgan tem mais credibilidade. _Há algumas coisas com as quais estou preocupada, meu filho. Disse mamãe. _Você já notou que o seu Dragon Center vai lançar uma sombra sobre a Praça Tiananmen quando o sol estiver se pondo? E todos os prédios no seu centro têm topos que terminam em agulhas. As sombras insultam a praça, os topos pontiagudos insultam o céu todo-poderoso. As superstições dos chineses têm uma razão de ser. _Mamãe, isso é o futuro de Beijing. Todos os prédios se estendem para alcançar o céu. Eles simbolizam o espírito humano voando cada vez mais alto. Além do mais, eles contrastam maravilhosamente com os telhados dourados e curvos da Cidade Proibida. _Consulte um monge especializado em feng shui antes de começar. Sugeriu mamãe. _Tenho absoluta confiança em LM. Pei. _Foi ele que projetou aquele prédio do Banco da China em Hong Kong em forma de espiral? Perguntou ela. _Foi, por que? _Os tradicionalistas de Hong Kong estão muito aborrecidos com isso, prevendo que um dia uma tragédia irá se abater sobre toda a ilha por causa daquele prédio desafiador. _Mamãe, jogue fora as suas superstições. Não vê como as pessoas estão reagindo ao glamour e à glória do projeto? _Eles não sabem nada sobre agulhas e sombras. _Obrigado pelos seus conselhos, mamãe, mas este dragão vai voar, custe o que custar. _Meu filho, não estou querendo desestimular você, é só uma precaução. Sou a única no meio de toda essa gente que tem coragem suficiente para lhe dizer a verdade. Seu pai e seu avô já caíram aos seus pés. Eles não falam mais com bom senso. Eu falo.
Abracei minha mãe novamente e afastei-me com relutância para cumprimentar a multidão que festejava. As palavras de congratulação borbulhavam como o champanhe que estava sendo servido. O prefeito atravessou a multidão para apertar a minha mão. _A cidade vai dar todo o apoio a você para que este projeto se realize. Beijing precisa de algo assim. Disse ele.
Repórteres de jornais e revistas do mundo inteiro vieram me entrevistar. _Qual é a mensagem que o senhor está dando ao mundo com este projeto? Perguntou alguém de Newsweek. _A mensagem é simplesmente que o gigante doente da Ásia está novamente de pé e já decolou. O repórter anotou rapidamente as minhas palavras. _Quanto tempo o senhor acha que a China vai levar para conseguir ocupar a posição que o Japão detém e tornar-se o país líder da Ásia e por que não, do mundo? _Mas já não somos? Uma salva de palmas seguiu-se à minha resposta.
Olhei meu relógio novamente. O tempo estava se esgotando. Onde estavam Fei-Fei e Sumi? Será que ele estava bebendo? Eu tinha dito a Fei-Fei que só começasse a beber seu primeiro gim-tônica depois que voltasse de Tianjin. Eram cinco para as oito. Fei-Fei já deveria estar de volta ao hotel a esta hora. O que estaria causando o atraso?
Olhei ao redor. Fei-Fei não estava lá. Disse a mim mesmo para ter paciência. Aquela apreensão pré-casamento estava me atingindo mais do que eu imaginava.
Eram oito da noite. O gerente do hotel, vestindo um smoking, veio até perto de mim discretamente e sussurrou: _Onde está ela? _É exatamente o que estou me perguntando. _Vou deixar tudo pronto e em compasso de espera até ela chegar. _Boa idéia.
Às 8h15, um Fei-Fei desalinhado e despenteado finalmente apareceu. Meus olhos se acenderam ao vê-lo. Puxei aquele homem magro e desajeitado de lado: _Onde está a minha noiva? _Precisamos conversar Disse ele. _Você precisa de um drinque? _Sim e você também, um bem forte. Fei-Fei arrastou-me por uma porta até uma sala vazia. Não conseguimos encontrar Sumi. _Deixe disso! Eu o conheço! O editor chefe e sua escritora predileta fazendo uma brincadeira com o dono da editora. _Estou falando sério. Sumi desapareceu! Berrou Fei-Fei, sacudindo meus ombros com energia. _É verdade. Procuramos por todo o hotel. Comunicaram que havia um incêndio, as crianças foram retiradas do local, aí então ela sumiu. Seu quarto estava intacto. Tudo que ela tem está lá, seu manuscrito, suas roupas, tudo. Uma das crianças disse que ela saiu de lá com um bombeiro. Contatamos os bombeiros. Eles disseram que nenhum incêndio foi comunicado e tampouco mandaram alguém ao hotel hoje a tarde. Aliás, todos os bombeiros estavam bebendo, jogando e celebrando o Ano Novo no posto do Corpo de Bombeiros. _E a polícia? _Eles não sabiam de nada sobre o assunto. _Deve ter sido uma prisão sigilosa. Disse eu. _Não, se fosse esse o caso, eles deixariam o público saber depois da prisão ter sido efetuada. Eu os ameacei e o chefe de polícia disse que eu estava cometendo um engano. Eles não haviam detido ninguém. Então, eu os acusei de seguir Sumi enquanto ela estava em Tianjin, coletando dados sobre os podres da corrupção na cidade. Eles disseram que eu estava certo, mas que a investigação havia sido interrompida durante as festas de fim de ano. Apenas um homem devia segui-la, mas foi dispensado da tarefa por uma ordem superior. _Uma ordem superior? Meu coração se apertou _E o misterioso bombeiro? Vou para minha suite agora. Encontre o David Li. Ele é o filho do ministro da Segurança Pública. Traga-o até aqui. _Sim, Tan. Subi à minha suite e tirei o paletó do smoking. Pouco depois, quando David Li chegou, peguei a mão do banqueiro e implorei: _Preciso de sua ajuda. _Mais um outro empréstimo bilionário? Perguntou ele, brincando. _Quem me dera que fosse isso! Passei-lhe o telefone. _Ligue para o seu pai e descubra para mim quem sequestrou Sumi Wo em Tianjin, hoje a tarde. O sorriso desapareceu do rosto de David. _Só me dê um minuto. Corri ao banheiro e joguei um pouco de água no rosto. _Sr. Long. Disse David depois de 15 minutos ao telefone. _Tan, por favor. _Sr. Long, as notícias não são boas. As ordens vieram da Guarnição Militar. É tudo o que sabemos. _Da Guarnição? _Os homens do presidente, para ser mais específico. _Há algum nome ou motivo? Qualquer coisa? _A Guarnição não precisa de motivo. Eles são a KGB da China. _Tem que haver um nome. David, meus acordos de empréstimos com você dependem do que você conseguir fazer por mim hoje a noite. Use todo o tempo que precisar e descubra. _Mas eu tentei. _Esta não é a resposta certa. _Sr. Long... _Por favor, David. Direi a sua esposa que você está no telefone com um banqueiro estrangeiro discutindo uns empréstimos importantes.
David Li, o banqueiro, filho do homem mais temido deste país, provou-me que todas as portas podem ser abertas por um preço. Vinte minutos depois, encontrou-me no salão lá embaixo. _Shento. Disse ele. _Topo da montanha? _É o nome de um jovem coronel. _Ele tem sobrenome? _Nada que eu pudesse descobrir. Fiz tudo o que era possível por você. _Obrigado. Como sabe, eu sempre recompenso em dobro o que me foi dado. _Fico feliz por ter sido útil Sr. Long. _Por favor, me chame de Tan daqui por diante, porque somos amigos. _Tan. O banqueiro afrouxou a gravata e sorriu. _Amigos. Gostei disso.
Quando reuni minha família na suite e dei a notícia do desaparecimento de Sumi, vovô serviu-se de outro drinque. Mamãe disse: _Eu avisei. Essa moça traz confusão. Papai baixou a cabeça. Ele fitava o chão. _Quem é esse Shento? Você já ouviu falar dele antes? Perguntei a meu pai. Houve um longo silêncio e então ele respondeu: _Ele é seu meio irmão e seu pior inimigo. _Meu meio irmão! Exclamei, incrédulo. _Há muito tempo, conheci uma moça em Balan. Ela se matou quando a criança nasceu. Aquela criança era Shento. A voz de papai estava triste e sombria. _Ele crê que eu o abandonei, mas na verdade eu achava que ele havia morrido quando a vila foi queimada. Ele caiu nas mãos do nosso inimigo, Heng Tu, que o usou para incriminar você pelo crime que você não cometeu. Foi Shento que matou a sua professora. Miss Yu.
Passaram-se alguns segundos até que eu conseguisse falar novamente. _Por que você não me disse isso antes? Agora meu meio irmão sequestrou minha noiva.
Tomei três doses de conhaque e saí intempestivamente do salão. Precisava fazer alguma coisa. Disse a Fe-Fei que cancelasse o helicóptero, telefonei para que meus homens continuassem a busca em Tianjin e mandei um motorista buscar Tai Ping. Voltei para a festa, fingindo que nada tinha acontecido, dando tapinhas nas costas de uns e outros aqui e ali, conversando com meus convidados e até brindando com eles, ficando cada vez mais bêbado.
Então puxei Fei-Fei de lado e sussurrei alguma coisa no seu ouvido. _Tem certeza de que quer seguir por esse caminho? Perguntou ele. _Você tem alguma outra idéia? _Então, é guerra. _De fato. Que comece, então.
Bebi outro drinque, enquanto Fei-Fei saia apressadamente. Fei-Fei distribuia um informativo para todos os jornalistas, nacionais e estrangeiros, no final da fila de convidados que se despediam do elegante e educado anfitrião e saiam do salão de recepções.
___________________
 
SE PERDEU ALGUM CAPÍTULO ENTRE NO MENÚ "CONTOS DE FADAS" ONDE ESTÃO ARMAZENADOS TODOS OS CAPÍTULOS ANTERIORES.

Nenhum comentário:

SOS  AO MUNDO PELA VENEZUELA... Hoje meu post não é sobre reallytie, desculpem-me, hoje estou inteira solidária com a Venezuela...