segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

SE PASSARAM 20 ANOS E A SAUDADE SEMPRE EXISTIU! UM CRIME CHEIO DE MALDADE E FRIEZA! IMPERDOÁVEL... FOI-SE COVARDEMENTE DANIELA PEREZ E ESTÃO LIVRES SEUS ASSASSINOS! JUSTIÇA? QUEM VAI DEVOLVER À SUA MÃE A VIDA DE SUA FILHA? QUE JUSTIÇA É ESSA?
 
QUEREMOS JUSTIÇA PARA DANIELA!
QUEREMOS RESPEITO A MEMÓRIA DE DANIELA!



É muito fácil falar em perdão agora... Sabe por que? Porque não foi a nossa filha... Deus poupe a todos dessa dor... Jamais encontrarei explicação para essa maldade dentro do coração de Guilherme de Pádua e Paula Thomáz... Tirar a vida de uma jovem de 22 anos, por motivos banais? Se por motivos mais sérios não tem justificativa, quanto mais por motivos baseados em sentimentos mesquinhos, como ciúme, inveja... Foram frios, determinados, falsos...
E a vida segue, mas e essa mãe? Quem pode consolar e dar conforto à ela? O que pode substituir a presença de sua linda filha que lhe foi arrancada?
Me lembro que na época eu fiquei muito abalada! Meus filhos eram pequenos e o que mais me abalou, foram as informações que fui obtendo do nosso pobre e frágil código penal! Os viéses que a lei costura para desviar do foco assassino. Simples assim...Você mata, é réu primário, cumpre sua pena e em seis anos está em liberdade, levando sua vida normal, enquanto Daniela está a sete palmos abaixo da terra! Isso é justo? Quem elaborou e aprovou essa lei, definitivamente tem uma intimidade grande e perigosa demais com a impunidade... Qual mãe consegue perdoar dois assassinos que deram covardemente 19 punhaladas no peito de sua filha e a jogaram num matagal? Como um bicho leproso? Quem pode perdoar uma pessoa que após ter cometido essa crueldade teve a frieza de consolar a família no velório de sua vítima?
A triste verdade é que os dois assassinos, estão livres, reconstruindo suas vidas, mas tenham a certeza suas mãos estão manchadas com o sangue inocente de Daniela e isso jamais pode ou deve ser esquecido. E por que não se eles cumpriram suas penas perante a sociedade? Eu lhes digo que existe em ambos o instinto do mal, a perversidade assassina, porque para o que foi feito e como foi feito, não existe perdão, assim como não existe mais a possibilidade de Daniela voltar a vida.
Que Deus me perdôe se estou sendo implacável em meu julgamento, mas só penso nessa mãe, em como ela teve que se reinventar, se superar, se fortalecer... Você enterrar um filho já deve ser uma dor incalculável, agora enterrar, sabendo o que seu filho sofreu antes de morrer, ainda é pior, portanto para mim, seis anos de reclusão é café pequeno. Os assassinos podem estar agora na praia, no cinema, viajando e Daniela? Com que direito se ceifa uma vida e paga-se tão pouco por isso? Por que nosso código penal é tão generoso e benevolente com uma barbaridade como essa? Essa pergunta me atormenta e me faz, como mulher, como cidadã, mas principalmente como mãe, em minha miserável impotência manifestar minha revolta e não me calar diante disso, vejam:

Guilherme de Pádua diz que ex-mulher tinha ciúmes de Daniela Perez
Atriz foi assassinada no Rio de Janeiro em dezembro de 1992

O ator Guilherme de Pádua, condenado pela morte da atriz Daniela Perez, afirmou que a então mulher dele, Paula Thomaz, tinha ciúmes de Daniela. Em entrevista exclusiva ao repórter Marcelo Rezende, Pádua contou os detalhes do crime que chocou o País em dezembro de 1992.
— Ela [Paula] tinha um pouco de ciúmes. Eu tinha que falar em casa que era profissional [...] A gente tinha tido uma conversa e ela começou a ficar desconfiada, começou a ir para TV.
O ator parou a narrativa e disse que não podia dar mais detalhes sobre essa questão do ciúme porque “pessoas não querem que a vida íntima delas venha à tona”.
— Eu não tenho condições hoje de enfrentar um processo, condição financeira, estrutura familiar. Meus pais não vão sustentar
 A atriz, que era filha da roteirista de novelas Glória Perez, foi assassinada em dezembro de 1992. Na época do crime, Guilherme fazia par romântico com Daniela em uma telenovela.
Ele juntamente com sua mulher, Paula Thomaz, levaram a atriz até um terreno baldio na Barra da Tijuca. A perícia comprovou que Daniela Perez foi morta com 18 golpes de punhal. Os dois foram condenados a 18 anos de prisão pelo assassinato. Após completar seis, ele foi solto em regime de liberdade condicional.
 
ASSASSINOS DE DANIELA PEREZ:
 
 
GUILHERME DE PÁDUA
 
PAULA THOMÁZ
 
Me choca, me espanta, a iniciativa da Rede Record, em abrir um espaço e criar um clima todo pincelado com sombras de vítima ao assassino Guilherme de Pádua. Que preço alto para obter audiência...Pisando no coração de toda a família de Daniela Perez e em muitas mães e cidadãos que ainda querem manter acesa a chama da esperança por justiça, não a justiça dos homens, pois essa pode ser juridicamente manipulada, mas na justiça maior que é a que vem do universo...
Em sua entrevista, Guilherme de Pádua define a atitude de Paula ter ido ao encontro de Daniela como "direito de esposa"! Que direito? Preferir 19 punhaladas no seu peito após quebrar seu pescoço agrega algum direito? Acho que devíamos levantar um movimento de revolta mais forte nas redes sociais, porque ninguém merece sequer por alguns segundos ao trocar de canal, ver as figuras desses assassinos desfrutando de uma liberdade a qual eles não deveriam gozar, porque ambos, por motivos torpes e banais interromperam a vida de uma jovem de 22 anos. Portanto mulheres brasileiras, mães, avós, cidadãos de todas as partes, vamos nos manifestar contra essa iniciativa da Record de querer pintar o assassino de Daniela Perez de "santinho arrependido" , isso é uma violência aos direitos sagrados de qualquer cidadão, que se chamam liberdade e justiça.
 
FICA MINHA MAIS SINCERA HOMENAGEM A ESSA BRAVA GUERREIRA DA VIDA! A ESSA MÃE E MULHER ADMIRÁVEL!
 
GLÓRIA PEREZ
 
Vou encerrar deixando para nossa reflexão a postura da Rede Record em relação ao apoio dado a  Guilherme de Pádua e todo espaço que lhe dedicam e lembrar que temos filhos em casa e a hora é de solidariedade e repudio a postura da emissora com sua débil tentativa de pintá-lo como um santo arrependido. Inverteram-se os papeis? Somos otários? Manipuláveis? Como se chama isso? Lavagem cerebral? Covardia? Ou falta de respeito mesmo?
 
                                                                    

Nenhum comentário:

QUE PAÍS É ESSE MESMO? Que país é esse mesmo? É o meu país, dilacerado moralmente não só no campo político, muito m...