segunda-feira, 25 de março de 2013

UMA CARTA ENDEREÇADA A PEDRO BIAL DEFINE O SENTIMENTO DA MINORIA BARULHENTA COMO ELE SE REFERE AO PÚBLICO DO PPV, DE ALGUÉM QUE RESUMIU COM MUITO SENTIMENTO O QUE ESTÁ EM NOSSOS CORAÇÕES...
 
 
Embora a carta abaixo não seja de minha autoria, exprime 95% dos meus sentimentos em relação a Pedro Bial e sua postura no BBB no que diz ao respeito que não tivemos. Acrescentaria nela, o grito que deu em Kamilla, na véspera de seu paredão, de certa forma influenciando e repassando sua rejeição à ela, ato covarde que abomino. Tiraria todo e qualquer adjetivo que concedesse a Andressa um mínimo de admiração que respinga em Nasser, por ser seu par (7º parágrafo). Fora isso, achei a carta muito intensa e verdadeira e estou postando com o devido crédito, deixando registrado a minha profunda admiração à seu autor.
 
 
Meu nome é "Povo Brasileiro" e é com muito pesar que te escrevo essas palavras.
Um dia eu olhei para você com olhos de admiração, sabia? Hoje eu olho para essa foto acima e se me pedirem para traduzir meus sentimentos e uma palavra, eu te respondo: VERGONHA!
 
Vergonha sim. Vergonha porque eu sou do tempo que seus cabelos castanhos lhe davam mais credibilidade e respeito que seus atuais cabelos brancos. Estranho, pois na vida real acontece justamente o contrário. A velhice concebe conhecimento e dignidade. A primeira eu te credito, pois inteligência e cultura são artigos de luxo para poucos, riqueza que não se perde, e isso você tem de sobra. Verdade seja dita. Mas a segunda, meu caro, sinto muito lhe informar, mas já não faz mais parte do seu dicionário faz um bom tempo. E se o problema é a falta de espelho, a situação é mais agravante. Terei a certeza de que sempre estive com a razão: a vaidade andou te cegando, você mudou, não agradou e o paredão te levou para longe dos nossos corações. Que pena!
 
Isso aqui está longe de ser um daqueles seus belos discursos de palavras rebuscadas, que às vezes só você entende ou finge entender. E quer saber a verdade? Acho que esse blá-blá-blá indecifrável é proposital, pois nem mesmo você consegue acreditar nas coisas que diz, ou é obrigado a dizer. É como se tivesse vergonha de usar palavras simples, entendíveis aos ouvidos de dona Maria da favela, ou senho João do botequim. Perdeu a autenticidade, meu querido, o charme da justiça não lhe pertence mais, e o carisma que um dia seu lado humanitário lhe presenteou, deu adeus, bye bye.
 
Sou do tempo em que seu senso de justiça falava mais alto no BBB2, e lá você posicionava-se contra uma perseguição escancarada protagonizada por meia dúzia de modeletes contra a aeromoça Cida, condenada, apenas, por ter uma idade mais avançada. Suas palavras ao se referir a essa "turminha" deixavam subentendida a sua indignação com aquela situação. A gente te admirava, cara!
 
Sou do tempo em que você enxergava casais de verdade, com os mesmos olhos do público: Bambam & Xaiene, Thyrso & Manuela, Dhomini & Sabrina, Grazi & Alan, Diego Alemão & Siri, "Eliéser & Cacau", e até mesmo aqueles mais recentes, que apesar de fugazes e imperfeitos, traduziam verdade: "Yuri & Laisa", "Jonas & Monique", mandam lembranças.
 
No BBB13 tivemos um desses casais de verdade, que davam liga e mostravam os entendimentos e desentendimentos normais de todos os enamorados, "Nasser & Andressa". Mas que foram esquecidos e injustiçados, frente ao casal mais fake de todos os tempos: "André & Fernanda", reprovados pelo Brasil, protegidos por edições chulas e tendenciosas, abraçados pela sua desonestidade e injustiça, ao tentar com frases forçadas mostrar para o Brasil uma verdade que nem você mesmo acreditava. Não conseguiu disfarçar e a gente percebeu. A gente te admirava, cara!
 
Eu sou do tempo em que você não permitia que homem nenhum humilhasse uma mulher, ou a colocasse em posição de subserviência, como o André fez com a Fernanda. Deu NOJO ouvir você chamá-lo de "Príncipe". Você queria um "príncipe" desses para a sua filha, Bial? Porque tanta mentira? A gente te admirava, cara!
 
Eu sou do tempo que "vilão" (leia-se, pessoas que jogavam sujo, apesar de permitido) era desmascarado com flashback seja lá ele quem fosse. Eu sou do tempo do BBB7, em que sua revolta diante das armações de um tal Caubói, o fez expulsá-lo da casa usando de ironia, com uma frase que este costumava atribuir às suas vítimas emparedadas: "Prego que de destaca, leva martelada. Vaza Caubói!". Lembra disso? Pois é! A gente te admirava, cara!
 
Eu sou do tempo em que você aplaudia com sorrisos e olhares verdadeiros, amizades como as de Lia e Cadu; Grazi, Jean e Pink; Mara e Mariana; Natália, Rafinha e "Papai Vanoli"; a Ana e a vovó Naiá (que relação linda!); e até mesmo uma muito recente, Fael, Jonas e João Maurício. A gente te admirava, cara!
 
Eu sou do tempo em que você exaltava uma Natália, então BBB8, por ser uma mulher livre de preconceitos, que falava abertamente de sexo, que bebia, que dançava sensualmente, mas que acima de tudo merecia respeito por ser mulher. Eu e todo o Brasil, vimos essa mesma Natália entrar no BBB13, ser chacoteada em edições covardes, parcialistas e hipócritas, que a colocava como uma pessoa indigna e não merecedora do prêmio maior. Bateu nela com palavras e indiretas por todo o programa, e na hora de eliminá-la chamou-a de "flor eterna do BBB". Quem é o verdadeiro, Bial? A gente te admirava, cara!
 
Por fim, eu sou do tempo em que as provas tinham as regras claras, bem explicadas timtim por timtim, para não restar dúvidas. Sou do tempo em que as provas eram menos tecnológicas, sem cronômetros tendenciosos. Sou do tempo de um BBB sem urnas, que depositam em si a sombra da dúvida e da lisura. Sou do tempo em que patrocinador do BBB era respeitado pelo público, pois não se envolviam em provas contestáveis. Sou do tempo que que participante não era acusado de estupro, não era acusado de proteção por parte da produção. Sou do tempo em que pesquisas e enquetes refletiam exatamente a vontade do público. Hoje, essas pesquisas falham quando lhes convém. A gente te admirava, cara!
 
Mas não lhe tenho ódio, não te reservo rancor, não desejo nem que a vida lhe devolva em dobro o castigo pela verdade que um dia você não falou, pela injustiça que um dia você não enfrentou ou pela vergonha que um dia eu senti por você.
 
Chega ao final mais uma edição do BBB. Vergonhosa, não para mim, Povo Brasileiro, que continuo em meu lar, deitado em minha cama, dormindo o sono dos justos. Mas para você, que certamente, nas ruas, já percebe o reflexo de uma rejeição, decepção ou até mesmo pena da nossa parte
.
Eu vou ficando por aqui. Desejando que você tenha uma vida feliz, que consiga dormir e paz, apesar de achar que você já não sabe o que é isso faz tempo. Mas não vou perder a chance, me desculpe, de relembrar para você duas frases SUAS que circulam na internet em sites de auto ajuda:
 
"Tá faltando homem que se apaixone, sem ligar para o que os outros pensam." (Bial, Pedro)
 
Volte, então, a se apaixonar por você, por quem você foi um dia para nós. Volte a se apaixonar pelo seu diploma, aquele sob o qual, em sua formatura de jornalista, um dia você jurou falar sempre a verdade.
 
"Tem gente muito inteligente, que não sabe ser feliz." (Bial, Pedro)
Essa você, que é inteligente demais, vai saber decifrar sem precisar da minha humilde interpretação.
 
Deus lhe dê dias de paz e um punhado de vergonha na cara.
 A gente te admirava, cara!"
 
ESSA IMAGEM ROLA NO TWITTER E COMO TEM SENTIDO COM A CARTA ACIMA REPRODUZO:
 
 
 
" F  I  M"

Nenhum comentário:

MAIS SOBRE O MEU PREFERIDO...MARCOS HARTER... TENHO TANTOS MOTIVOS PARA ISSO... VAMOS FALAR DELES? Falar dele agora, após esse tsun...